Browsing Tag:

Sobrenatural

5 Livros de Terror (Halloween)

Posted in Vídeos by

O mês do terror/Halloween está chegando ao fim. E pra fechar o mês, vou indicar 5 livros de terror que eu gostei bastante. Não sou especialista no tema, na verdade li bem poucos livros neste gênero. Vem conferir minhas escolhas.  E se gostar do vídeo, não esqueça de dar seu like, pois isso ajuda muito na divulgação do canal. E se ainda não for inscrito, inscreva-se para não perder nenhuma novidade. Beijos e até o próximo vídeo.

14907130_10210269603003739_8528698990290473298_n

Resenhas dos livros citados:

A mulher de preto
A mulher de preto 2
A maldição de Long Lankin
O Vilarejo
O menino que desenhava monstros

LOJAS PARA COMPRAR LIVROS Amazon||Americanas||Saraiva||Submarino
comprando

01/11/2016
/

[Resenha] O menino que desenhava monstros

Posted in Livros by

 

35-o-menino-que-desenhava-monstrosJack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar. Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais. Na superfície, O Menino que Desenhava Monstros é uma história sobre pais fazendo o melhor para criar um filho com certo grau de autismo, mas é também uma história sobre fantasmas, monstros, mistérios e um passado ainda mais assustador. O romance de Keith Donohue é um thriller psicológico que mistura fantasia e realidade para surpreender o leitor do início ao fim ao evocar o clima das histórias de terror japonesas.

Estava mega curiosa para ler O menino que desenhava monstros. A narrativa tem um ritmo um pouco lento e arrastado em alguns momentos mas o final, nossa… o que foi aquele final? Com certeza vale toda a leitura. Vem conferir todas as minhas impressões sobre este livro. E se ainda não é inscrito no canal, inscreva-se para ficar de olho em todas as novidades. :)

 

o-menino-que-desenhava-monstros1

O menino que desenhava monstros – Keith Donohue
DarkSide Books
Ano: 2016 / Páginas: 256
Comprar: Amazon|Americanas|Submarino
4 star

comprando

13/10/2016
/

[Resenha] A casa assombrada

Posted in Livros by

8 - A  casa assombradaEliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.

Somente ano passado tive o grande prazer de conhecer a escrita de John Boyne. E fatalmente, foi amor à primeira vista. Li O pacificador, Fique onde está e então corra e O Palácio de inverno, que pra mim foi um dos melhores livros que já li na vida! Então quando a Companhia das Letras anunciou o lançamento de A casa assombrada, seu novo livro, fiquei muito empolgada e corri para lê-lo.

Eliza Caine sempre foi muito apegada ao pai. Desde a morte da mãe, durante o seu parto, os dois viveram um para o outro. Então, com a morte inesperada do seu adorado pai, Eliza vê o mundo desabar aos seus pés. Sem conseguir permanecer na casa onde viveram felizes por tantos anos, onde tudo fazia lembrar-se do pai, os livros de Dickens, sua coleção de livros sobre entomologia, o cheiro de seu cachimbo pela casa, Eliza decide abandonar tudo e partir. Sozinha no mundo e sem dinheiro, ela se depara com um anúncio de jornal, onde oferecem vaga para governanta. A função seria cuidar de crianças em Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk.

Mesmo sem ter maiores detalhes sobre o emprego, Eliza parte para Norfok. Logo ao chegar em Gaudlin Hall, ela percebe que há algo muito errado. Quem a recebe na mansão é uma menina, Isabella, de apenas 12 anos e seu irmão Eustace, de 6 anos. Eliza fica perplexa ao constatar que não há nenhum adulto vivendo na mansão, ninguém para tomar conta dos irmãos Westerley. Sempre que citava que era a nova governanta dos Westerley, os moradores do povoado mudavam imediatamente, a evitando, mudando de assunto, ou a tratando com desdém. Eliza busca respostas com o advogado da família, que cuida de todos os assuntos relacionados aos irmãos. Só o que ela consegue descobrir é que os pais das crianças não estão disponíveis no momento.

Coisas estranhas e sinistras começam a aterrorizar Eliza, ela tem certeza de que alguma força maligna está presente naquela casa. Acidentes inexplicáveis começam a lhe acontecer e ela percebe que, o que quer que seja que esteja perambulando por aquela casa, só quer fazer o mal a ela própria, não às crianças. Eliza agora vai fazer o que estiver  ao seu alcance para  abandonar aquela casa assombrada, mas não sem antes proteger aquelas crianças indefesas.

A casa assombrada

A casa assombrada

Como em todos os livros seus que já li, John Boyne me fez entrar no clima da história logo no começo. O clima frio e chuvoso de Londres, as várias citações às obras de Charles Dickens (que me fez desejar muito conhecer), me transportaram para o ano de 1867. A narrativa tem um ritmo bem linear, chegando até ser lento em alguns momentos, mas nada que faça perder o encanto pela trama. Mesmo sendo uma história de fantasmas, não achei tão assustadora. Mas imagino que tenha sido exatamente essa a intenção do autor.

Consegues imaginar uma história de terror onde você possa se emocionar? Pois nas hábeis mãos de John Boyne isso é possível. Há toda uma história de tragédia e dor por trás do batido tema “fantasma”. A personalidade das crianças é muito bem construída, tanto falando sobre a sensibilidade e carência de Eustace quanto na frieza e maturidade de Isabella. Eliza também é uma personagem sólida, que mesmo enfrentando o seu luto, se preocupa com o bem estar de crianças que acabou de conhecer. Gostei muito da história, do clima todo e principalmente do desfecho. Leitura indicada. Leiam!

A casa assombrada – John Boyne
Companhia das Letras
296 páginas
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino

4 estrelas

 

sobre o auttor

john boyneJohn Boyne (nascido em 30 de abril de 1971) é um romancista Irlandês. Ensinou língua inglesa no Trinity College, e Literatura Criativa na Universidade de East Anglia, onde foi galhardoado com o prêmio Curtis Brown. Começou a escrever histórias aos 19 anos e teve o primeiro romance publicado dez anos depois.Trabalhou em uma livraria dos 25 aos 32 anos. Seus romances foram publicadas em 29 idiomas. O menino do pijama listrado é seu livro mais famoso e já foi adaptado para o cinema. Boyne reside em Dublim.
 

 

02/03/2015
/

[Resenha] A mulher de preto 2

Posted in Livros by

6 - A mulher de preto 2Durante a Segunda Guerra Mundial, a Grã-Bretanha é devastada por bombas alemãs. A professora Eve Parkins é responsável por um  grupo de crianças que segue para o campo. O destino: a Casa do Brejo da Enguia. A nova residência, localizada em um pântano e sempre encoberta por uma espessa bruma, agora está reformada e pronta para servir de escola e abrigo. Porém, existe algo na casa que deixa a jovem professora inquieta.  Edward, uma das crianças do grupo, tem um passado trágico. Após testemunhar a morte da mãe em um ataque aéreo, ele se retrai completamente. Sempre afastado, busca consolo em um fantoche que encontra na casa. No entanto, longe de ser apenas um brinquedo, o boneco parece servir de instrumento para o menino conversar com alguém. Logo os novos residentes da Casa do Brejo da Enguia percebem que há mais uma pessoa entre eles. E ela parece ter planos para os visitantes.

Para ler a resenha do primeiro livro, A mulher de preto CLIQUE AQUI.

A mulher de preto 2 está ainda mais assustador do que o primeiro livro. A casa do Brejo da Enguia passou por pequenos ajustes para receber refugiados da Segunda Guerra Mundial. A doce professora Eve Parkins e a amarga diretora Jean Hogg estão  a caminho com uma pequena turma de alunos. Mas o que elas nem imaginam, é a situação do local para onde estão indo.

A casa do Brejo da Enguia fica em um local de difícil acesso, por causa das marés que podem subir de repente e impossibilitar totalmente o acesso,  cercada por um pântano lúgubre, sempre coberto por um uma espessa bruma. A casa consegue ser ainda pior, a umidade e o mofo tomam conta de absolutamente tudo. O ar é carregado de sentimentos ruins, de sensações estranhas, de arrepios inexplicáveis. E a primeira pessoa a ter essas sensações é a professora Eve.

Além de sentir essas coisas ruins e inexplicáveis, a professora também percebe a mudança de comportamento de Edward, uma das crianças da turma. Edward acaba de sofrer um forte trauma, por ter perdido a mãe na explosão de uma bomba. Desde então ele parou de falar e não interage com os colegas. Mas de repente o menino começa a “conversar” com um estranho boneco que encontrou pela casa, a ter atitudes muito estranhas. Eve vai contar com a ajuda de Harry, piloto  de bombardeiro,  o único a acreditar em seus pressentimentos.

A mulher de preto 2

A mulher de preto 2

Eve tem certeza de que não estão sozinhos naquela horripilante casa. Ela pode sentir a presença do mal, como se o mofo das paredes se movesse, como se o cheiro de mofo e umidade fosse sufocante,  ela acredita ter visto uma mulher toda de preto com o rosto branco como cera, sinistra, assustadora. Eve agora tem certeza que essa criatura macabra está atrás de Edward e vai fazer de tudo para defender o menino.

A primeira coisa que me chamou a atenção no livro, foi que foram escritos por autores diferentes. Acho que é a primeira vez que vejo isso, de uma sequência ser escrito por outro autor. O autor Martyn Waites foi brilhante, soube transmitir ao leitor muitas sensações. O clima da trama é tão sinistro, tão  obscuro, abafado e claustrofóbico que por pouco não sentimos realmente cheiro de mofo e umidade no ar.  O ritmo de leitura é bem acelerado, senti medo em vários momentos. A descrição dos lugares e personagens é muito real, mas sem exceder nos detalhes, podemos visualizar a Mulher de preto enquanto lemos.  O final é estarrecedor. Vale continuação. Muito bem escrito e convincente, realmente transmite medo,  o que certamente é a intenção do autor. Com toda certeza o filme será muito assustador. Fãs de Terror/Suspense certamente irão curtir. Recomendo!

A mulher de preto 2 – O anjo da morte – Martyn Waites
Editora Record
304 páginas
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino
4 estrelas

 

sobre o auttorMartyn Waites Womn in black

 

 
 
 
 Martyn Waites nasceu em Newcastle, na Inglaterra. Iniciou a carreira no teatro e na televisão. Como escritor de romances, começou com thrillers, quando foi convidado a escrever a sequência de A muher de preto.

 

 

13/02/2015
/

Um anjo burro

Posted in Livros by

Charles Dickens é passado. Agora é a vez de Christopher Moore! O Natal mais hilário e horripilante da história. Após falar da juventude desregrada de Jesus em O Cordeiro, e de um funcionário da Morte em Um Trabalho Sujo, o cultuado Christopher Moore ataca agora a magia do Natal e o famoso arcanjo Raziel no hilário Um Anjo Burro.

Era noite, quase Natal, e todos em Pine Cove estão ocupados comprando, embrulhando e trocando presentes. Mas nem todos estão no clima para receber o bom velhinho. O pequeno Joshua Barker, de apenas sete anos, está desesperado: precisa de um verdadeiro milagre. Ele tem certeza de que viu o Papai Noel tomar uma pazada na cabeça e agora não faz outra coisa senão rezar para que ele volte dos mortos.

Para compor o elenco do livro, o autor recorreu a personagens tradicionais do Natal, como o Papai Noel e o arcanjo Raziel, e outros nem tão clássicos, como mortos-vivos e um morcego diferente. O filme baseado no livro está com estreia marcada para novembro de 2013.

Um Anjo Burro é uma leitura bem diferente do que eu estou acostumada. Tem personagens bizarros e extremamente cômicos, incluindo Papai Noel, o Arcanjo Raziel e até zumbis. O que me atraiu primeiramente na sinopse foi o humor e confesso que não me decepcionei.

Joshua Barker um garotinho esperto, acabou perdendo a hora de voltar pra casa. Envolvido num jogo de vídeo-game na casa de seu colega, ele agora está apavorado, porque seu atraso vai entrar para a lista de “coisas erradas” do Papai Noel e ele pode deixar de ganhar seu tão desejado presente do bom velhinho.

Mas para sua grande surpresa, ele vê Papai Noel ser assassinado com uma pazada na cabeça. Apavorado com a cena que acabou de presenciar, ele corre pra casa e agora deseja com todas suas forças que Papai Noel possa voltar dos mortos.

Para sua sorte (ou não), desembarca na pequena cidade de Pine Cove o arcanjo Raziel, que como última missão na terra, precisa atender a um pedido de Natal de uma criança. Então o arcanjo lhe concede o pedido, devolvendo o Papai Noel ao mundo dos vivos. Mas como arcanjo Raziel não é lá muito esperto (Um anjo Burro) ele acaba despertando também um bando de zumbis comedores de cérebros que estão famintos e prontos para devorar quem estiver ao seu alcance.

Definitivamente Zumbis não é um tema que me atrai, mas os zumbis de Pine Cove são hilários!!! Na verdade praticamente todos os moradores da pequena cidade são divertidíssimos, principalmente “A Guerreira Gostosa das Terras Distantes“, esposa do policial da cidade e totalmente pirada. E Mavis, a proprietária do bar onde todos os personagens se encontram. Tem também um morcego frutífero, o Roberto, que rouba a cena com seus óculos de sol Ray ban.

Christopher Moore tem um humor negro, ácido, mas extremamente viciante. Impossível não rir muito durante a leitura. O filme baseado no livro tem estréia prevista para novembro de 2013. Imagino que o filme deva ser igualmente hilário.

Enfim, se você está  a fim de uma leitura rápida e bem humorada, não deixe de ler “Um Anjo Burro”.

Um Anjo Burro – Christopher Moore
Bertrand Brasil
265 páginas
Comprar: SUBMARINO||SARAIVA
:heart: :heart: :heart:
05/04/2013
/

A filha da Feiticeira [Resenha+Promoção]

Posted in Livros by

Meu nome é Elizabeth Anne Hawksmith, tenho 384 anos. Cada era exige um novo diário. Assim sendo, começa este livro das sombras. Após a morte, em 1628, de toda a sua família, a menina Elizabeth, de 15 anos, consegue abrigo com o bruxo Gideon Masters. Contudo, ele a aprisiona e a inicia na magia, tornando-a um ser eterno. Com a fuga da jovem, anos depois, o tutor a persegue ao longo dos séculos, passando por momentos importantes da história da humanidade.

Com traços de romance histórico e elementos de fantasia, A Filha da Feiticeira é uma arrebatadora iniciação no mundo mágico, embora perigoso, da feitiçaria. É impossível esquecer essa heroína forte e independente, que sobrevive a pragas e guerras, na busca por se manter fiel a seus princípios.

A autora descreve com destreza épocas e locais distintos ao longo dos tempos, como a Inglaterra de 1628, a Paris de 1917 e os dias atuais. Para isso, Paula Brackston pesquisou durante anos as características das sociedades que lá viviam. No fim, uma certeza: o desejo urgente por uma continuação.

Confesso que não sou muito fã do gênero fantasia, sobrenatural e afins. Mas quando li a sinopse de “A filha da Feiticeira” fiquei super tentada. E vamos combinar que essa capa é no mínimo perfeita neh? E a mistura de romance histórico, fantasia, chegando até os dias atuais, foi o que me fez decidir a ler.

A história se inicia no ano de 1627, quando a jovem Elizabeth Hawksmith de apenas 15 anos vivia numa cabana com seus pais e seus dois irmãos num pequeno vilarejo na Inglaterra. Bess, como era chamada por todos no vilarejo era uma menina determinada, honesta e muito trabalhadeira.

Seu mundo literalmente desaba com a chegada da “Peste Negra” em sua vila, que acaba vitimando seu pai e seus dois irmãos. Restando somente Bess e sua mãe Anne, a menina também acaba adoecendo. Mas, como que por um passe de  “magia”, Bess consegue se recuperar e retoma sua saúde.

Todos no vilarejo ficam desconfiados e se perguntam como Bess e Anne conseguiu sobreviver, tendo a Peste levado o restante de sua família. Todos no vilarejo, a maioria idosos e muito católicos, desconfiam que foi por meio de bruxaria que as duas sobreviveram e acusam Anne de ser uma feiticeira.

Anne é então acusada formalmente quando um Caçador de Feiticeiras chega ao vilarejo. Ela é condenada à forca, para desespero de Bess. Mas antes de morrer, a mãe pede para a filha procurar por  Gideon Masters, um misterioso homem que mora na parte mais isolada do vilarejo e sempre causou arrepios em Bess.

Ao se ver completamente sozinha no mundo e sem ter para onde ir,  recebendo somente o desprezo da vizinhança, Bess toma coragem e finalmente decide procurar por Gideon. Ela descobre então que Gideon na verdade é um poderoso Feiticeiro e que antes de morrer, sua mãe recebeu “aulas de magia e feitiçaria” com ele. Somente por isso, por meio da magia, Anne conseguiu salvar sua filha da morte.

O último desejo de sua mãe era que Bess recebesse os mesmos ensinamentos de feitiçaria que ela recebeu de Gideon. Mas Bess, ao descobrir o preço a ser pago por se tornar uma poderosa feiticeira, por possuir a vida eterna e nunca mais precisar fugir de ninguém, não quis aceitar.

Até que um terrível incidente a faz mudar de idéia, e ao pronunciar o encantamento que a tornaria eterna, Bess dá início a uma jornada sem fim, de fuga e luta contra o mal.

“Eu, que vagara por este planeta por séculos, observando a incessante luta, a batalha e o esforço que as pessoas sofriam.
Poderia ser a morte uma coisa tão terrível? Não havia momentos em que era uma coisa adequada?
Ou será que penso assim porque isso me foi negado?
Eu não tinha certeza.”

Através dos séculos, Bess fugiu de seu algoz. Em 1888 ela foi Eliza, uma médica/enfermeira, trabalhando em um hospital em Londres. Em 1917 ela foi Elise, uma enfermeira auxiliando na frente de batalha na Guerra da França. E nos dias de hoje, aos 387 anos, ela é Elizabeth, vive sossegada cuidando de sua horta e vendendo ervas e óleos naturais.

Mas aonde quer que vá, passe o tempo que passar, Gideon sempre acaba encontrando Bess…

Uma aventura de tirar o fôlego, com personagens muito bem construídos e marcantes. Bess é uma heroína, sempre  lutando contra o mal. Eu fiquei impressionada comigo mesma, por gostar tanto de um gênero que nunca me atraiu muito. A leitura me prendeu tanto, mas tanto que eu ficava super #chatiada :angry:  quando tinha que largar o livro pra fazer alguma coisa inadiável, como cuidar da casa/filhos/marido. Assim que o carteiro me entregou o livro, larguei tudo o que estava fazendo e corri começar a leitura. Só parei quando já tinha lido 180 páginas e estava  extasiada. Um dos poucos livros que me fizeram varar a madrugada lendo.

Somente em um único ponto, eu senti uma leve decepçãozinha. Eu imaginei um final diferente. Não que eu não tenha gostado, só que se fosse o fim que eu desejei, seria mais perfeito ainda entende?

O que me chamou muita atenção na história, foi que sempre que Elizabeth pressentia que Gideon estava por perto, que a havia encontrado novamente, ela tinha certeza disso, porque sempre ouvia uma música chamada “Greensleeves“. Fiquei muito curiosa e fui pesquisar pra ver se essa música realmente existia.

Para minha surpresa, essa música não só existe, como também é muuuuito linda! Fiquei encantada com a melodia. E desde de então, não consigo parar de ouvir. Há várias versões, mas a que mais gostei foi a tocada no piano. Vou deixar um vídeo com a música para vocês ouvirem também.


Enfim, um livro maravilhoooooso, entrou para minha lista de FAVORITOS.  Tô querendo fazer um vídeo especial sobre ele, vamos ver se me encorajo :smile:  Super recomendo! Leiam!!! E depois vamos discutir o final ok? Bjks!!! :wink:
A filha da feiticeira – Paula Brackston
Bertrand Brasil
446 páginas
FAVORITO

:heart: :heart: :heart: :heart: :heart:

PARTICIPEM DA PROMOÇÃO


a Rafflecopter giveaway

11/03/2013
/

O Substituto

Posted in Livros by

Mackie não é um de nós. Ele vive na pequena cidade de Gentry, mas vem de um mundo de túneis e águas escuras e lamacentas, um mundo de garotas-cadáver governado por uma pequena princesa tatuada.
Ele é um Substituto — deixado no berço de um bebê humano há dezesseis anos. Agora, devido a uma alergia fatal a ferro, sangue e solo consagrado, Mackie está morrendo aos poucos no mundo dos homens.
Mackie daria qualquer coisa para viver entre nós. Tudo o que ele deseja é tocar baixo e descobrir mais sobre uma garota estranhamente fascinante chamada Tate. Mas quando a irmãzinha de Tate desaparece, Mackie é irreversivelmente arrastado para o submundo de Gentry, conhecido como Caos.

Alguém consegue imaginar como uma história macabra pode ser cute?  Não? Então vocês precisam ler “O Substituto“. Não curto muito esse tema, mortos vivos, garotas-cadáver, sobrenatural, na verdade não curto nada! Nem sei porque solicitei esse livro da Editora Bertrand. Acho que foi a capa que me atraiu, sei lá. Só sei que foi a melhor surpresa literária que tive esse ano.

Mackie Doyle é um adolescente de 16 anos, aparentemente comum. Ele frequenta a escola, tem alguns bons amigos e  se interessa pelas garotas mais atraentes da escola, apesar de sua grande timidez,  como qualquer adolescente comum. Acontece que Mackie não é comum. Ele é um Substituto, que foi deixado no berço de uma criança humana.

“Eu era um garoto de dezesseis anos, quieto e magricelo, que sentia uma fisgada de nervoso no estômago, sempre que era chamado para dar uma resposta em voz alta na frente da turma.”

Na cidade de Gentry, além dos humanos, vivem no subsolo de um depósito de lixo, seres estranhos. Eles são mortos-vivos, zumbis, meninas-cadáver. Quando algum de seus bebês-cadáver morto-vivo “adoecem” eles invadem a casa dos humanos que têm bebês e fazem a troca do bebê saudável pelo bebê-cadáver adoentado. Então em pouco tempo esse bebê morre.

Os moradores de Gentry tem conhecimento de sua macabra vizinhança e da troca dos bebês, que já acontece à muitos anos, mas nada podem fazer para mudar isso. Então eles aceitam calados e sempre muito amendrontados. E fica cada um no seu canto, os humanos levando uma vida normal na cidade e os mortos-vivos na Casa do Caos.

Mesmo tendo sido substituido por um bebê humano saudável, Mackie, que era um bebê-cadáver doente, conseguiu sobreviver. Ele acredita que tenha sobrevivido, por ter recebido muito amor de seus pais e principalmente de sua irmã mais velha, Emma. Mesmo sabendo que Mackie é um Substituto, eles o amam e fazem de tudo para que ninguém mais na cidade perceba.

Mas está ficando cada vez mais difícil esconder esse segredo. Mackie tem uma grave alergia a sangue, ferro e qualquer tipo de metal e a solo sagrado. Fica cada vez mais difícil explicar, por que, mesmo o pai de Mackie sendo o pastor da igreja, ele não entra jamais dentro dos portões da igreja, desmaia cada vez que vê ou sente cheiro de sangue e não pode nem chegar perto de qualquer material feito de metal.

E agora Mackie está cada vez mais fraco e descobre que está morrendo. Descobre também, que só quem tem o remédio para livrá-lo das  dores são as meninas-cadáver. Elas fabricam o milagroso remédio, mas ele precisa descer até a Casa do Caos para pegá-lo. E terá que pagar por isso…

Sabe quando você lê um livro e fica tão envolvida com a história que nem vê o tempo passar? Pois é, “O Substituto” fez isso comigo. Assim que recebi a prova do livro, larguei tudo o que estava lendo e o devorei   em praticamente um dia! É aquele tipo de história que não te dá fôlego, é o tempo todo acontecendo “coisas” e uma vai puxando a outra.

Apesar de ter alguns trechos bem macabros, como descrições nojentas de corpos em decomposição, exumação de cadáver, etc… é tudo com humor negro, quase infantil (se é que isso é possível). Alguns trechos, li para meu filho de 10 anos e ele adorou hahaha.Surpreendentemente a história me cativou. A fragilidade de Macky, o amor de Emma pelo irmão, a amizade verdadeira e o primeiro amor, tudo isso contribui para eu a história agradar tanto. Sem contar a simplicidade como a autora escreve, em capítulos curtos e bem definidos. Enfim, tem tudo pra agradar, desde crianças até os mais “velhinhos” que curtem uma história a la Tim Burton. O que aliás, poderia muito bem ter sido escrito por ele. Eu super recomendo!

O Substituto – Brenna Yovanoff
Editora Bertrand
335 páginas
Comprar:
:love: :love: :love: :love: :love:
Capas

30/04/2012
/

Beijada por um anjo 4

Posted in Livros by

Um ano se passou desde que o namorado de Ivy, Tristan, morreu. De lá para cá, ambos seguiram em frente – Tristan para o outro lado da vida e Ivy para o doce e adorável Will. Agora, ela espera somente esquecer o horror do passado, deitar-se na praia com um copo de limonada e sair com seus amigos. Mas então, um acidente de carro põe fim à vida de Ivy. Enquanto ela flutua no além, se deparando com a vida que ela deixou para traz, Tristan a faz retornar a vida com um beijo apaixonado. Ivy acorda no hospital, cercada por Will e sua família, mas tudo o que ela consegue pensar é no amor que perdeu. Mas não são apenas as lembranças de Ivy que voltaram do passado. E dessa vez ela não tem certeza de que o amor possa salvá-la.

No quarto livro da série Beijada por um anjo, já se passou um ano após a morte de Tristan. Ivy, agora mais conformada com a sua grande perda, namora Will, que sempre foi apaixonado por ela e muito gentil. Mas não consegue tirar da cabeça o grande amor que sentia por Tristan.

Ivy, Will e Beth, estão trabalhando na pousada  da tia de Beth, durante todo o verão. Junto com as novas amigas Kelsey e Dhanya elas ajudam na organização e limpeza da pousada e na recepção dos hóspedes.

Tudo corria bem, até que em uma noite, elas resolvem “brincar” com um tabuleiro Ouija, mesmo contra a vontade de Ivy e Beth. E então um espírito se manifesta e a partir dai, coisas estranhas começam a acontecer.

Ivy e Beth sofrem um acidente de carro e Ivy acaba morrendo. Ao fazer a passagem, ela encontra com seu amado Tristan, que lhe dá um beijo e promete amá-la e protege-lá para sempre. Ela então “acorda”. Teria sido tudo um sonho? Ilusão? Ou realidade? Tudo isso apenas bastou para que aumentasse ainda mais seu amor por ele.

Após acordar no hospital, Ivy conhece um estranho rapaz com amnésia. Sem motivo algum ela simpatiza com ele, que ganha o nome de “João“. Ela acaba sendo a única, pois Will, Beth e suas amigas, acham João um tanto suspeito e esquisito.

Ao se envolver com esse desconhecido, Ivy acaba se metendo em algumas situações bastante complicadas, e se afasta cada vez mais de seus amigos. Pois defende a inocência de João com unhas e dentes.

Confesso que eu esperava muito mais do quarto livro da série. Gostei muito dos três primeiros, sempre com muito suspense, mas esse deixou a desejar. Achei a história toda meio arrastada, algumas partes um tanto confusa, ficava sem entender se era ilusão ou verdade. Acho que deve ter sido essa a intensão da autora.

Achei a Ivy um pouco antipática e egoista nesse volume, pois mesmo sem amar Will, alimentava as esperanças dele que sempre gostou dela. E toda vez que seus amigos tentavam abrir seus olhos quanto ao desconhecido ela se irritava e acabava os magoando. Uma pena, mas pra mim esse é o mais fraco dos livros da série até agora.

Já estou com o quinto volume aqui, Revelações e espero sinceramente que a autora se ache novamente na história. Porque senti que ela deu uma perdida feia nesse hein. Que pena…

Beijada por um anjo 4 – Destinos Cruzados – Elizabeth Chandler
Editora Novo Conceito
286 páginas
Comprar: Submarino
(*) (*) (*)
31/01/2012
/

Sereia – Tricia Rayburn

Posted in Livros by

Vanessa Sands, de 17 anos, tem medo de tudo – do escuro, de altura, do mar –, mas sua destemida irmã mais velha, Justine, está sempre por perto para guiá-la a cada desafio. Até que Justine vai mergulhar num precipício uma noite, perto da casa de veraneio da família em Winter Harbor, e seu corpo sem vida aparece na praia no dia seguinte. Os pais de Vanessa tentam superar a tragédia retornando à vida cotidiana em Boston, mas ela sente que a morte da irmã não foi acidental. Depois de descobrir que Justine estava escondendo diversos segredos, Vanessa volta para Winter Harbor, esperando que Caleb, o namorado de sua irmã, possa esclarecer algumas coisas, mas o garoto está desaparecido. Logo, não é apenas Vanessa que está com medo. Winter Harbor inteira fica em alvoroço quando outro corpo aparece na praia, e o pânico se instala à medida que a pequena cidade se torna palco de uma série de acidentes fatais relacionados com a água, em que as vítimas são encontradas sorrindo horrivelmente de orelha a orelha. Vanessa e Simon, irmão mais velho de Caleb, unem forças para investigar os estranhos acontecimentos e, no caminho, a amizade de infância se transforma em algo mais. Conforme eles vão encontrando ligações entre a morte de Justine e a súbita erupção de afogamentos assustadores na cidade, Vanessa descobre um segredo que ameaça seu romance com Simon – e que vai mudar sua vida para sempre.

Vanessa Sands é uma adolescente comum de 17 anos. Ela vive com medo! Medo do escuro, medo de altura, medo de água. Muito tímida e introvertida, ela só confia em uma pessoa, sua irmã mais velha (de 18 anos) Justine. Vanessa simplesmente idolatra a irmã, que faz tudo para que ela consiga superar seus medos. Justine é destemida, aventureira, namoradeira e é sempre o centro das atenções.

Tudo muda a partir do momento em que o corpo de Justine é encontrado no mar, depois de um fatal mergulho do penhasco. Todos pensam que foi suicídio, menos Vanessa, que acredita que jamais sua irmã teria motivo pra tal atitude. Ela então vai em busca da verdade, do que realmente aconteceu naquele dia fatídico.

Caleb, namorado de Justine e última pessoa que esteve com ela pode ter as respostas que Vanessa procura. Poderia, se não estivesse desaparecido desde o dia do acidente. Vanessa conta com a juda de Simon, irmão de Caleb. Os quatro passavam todos os verões juntos em Winter Harbor, desde a infância.

Aos poucos e com a juda de Simon, Vanessa descobre que sua irmã guardava muitos segredos. E que não era quem realmente ela achava que fosse. Após a morte de Justine, outras mortes misteriosas começam a assombrar a população de Winter Harbor. Todos os corpos encontrados são de homens, e todos eles tinham um sinistro sorriso de satisfação estampado no rosto. Mortes essas, aparentemente sem ligação, mas que para Vanessa não poderiam ser apenas coincidência. Então, cada vez mais ela precisa descobrir a verdade e se essas mortes tem alguma ligação com a morte de Justine.  A autora soube expor perfeitamente o amadurecimento de Vanessa, a superação de seus medos, seu crescimento interior. Quando ela se viu sozinha, sem a irmã para ampará-la, se viu obrigada a mudar suas atitudes diante da vida.

Eu estava muito curiosa para ler Sereia. E assim que chegou comecei a ler. Sinceramente, achei o começo muito cansativo, massante, o que pode dar a impressão errada, se o leitor não tiver um pouquinho de paciência e seguir com a leitura. A partir do momento que a história começou a se desenrolar, o suspense foi aumentando. Não conseguia largar o livro!

Vanessa e Simon formam um casalzinho muito fofo, vivendo um romance delicado e sutil. Como esse é o primeiro livro que leio com o tema “Sereia“, imaginei que seria mais um chick-lit ou coisa parecida. Mas a história criada por Tricia Rayburn é intensa e repleta de mistérios, que precisamos desvendar! Aquele tipo que leitura que te prende ao livro.

Sem contar que a capa é maravilhosa! Com detalhes holográficos nos olhos da sereia e no título do livro. A Editora Verus está de parabéns pelo belo trabalho e também por diversificar a temática sobrenatural dos livros YA. Sempre com Vampiros/Anjos/Demônios. Foi uma ótima sacada. E tenho certeza que quem ler não vai se arrepender, super recomendo!

Sereia – Tricia Rayburn
Verus Editora
306 páginas
Comprar: Submarino|Saraiva
(*) (*) (*) (*)

16/05/2011
/