Browsing Tag:

Galera Record

[Resenha] O caderninho de desafios de Dash e Lily

Posted in Livros by

22 - O caderninho de desafios de Dash e LilyO novo livro de David Levithan e Rachel Cohn que juntos escreveram Nick e Nora Uma noite de amor e música acompanha a dupla Lily e Dash. Ela está doida pra se apaixonar e, pra encontrar o par perfeito, decide criar um caderninho cheio de tarefas e deixá-lo na livraria mais caótica de Manhattan. Quem encontra o moleskine é Dash, e os dois começam a se corresponder e trocar sonhos, desafios e desejos no caderninho, que vai se perdendo nos mais diversos lugares de Nova York.

Pensa em um livro fofo! Pois então, esse livro é “O caderninho de desafios de Dash e Lily“. Uma leitura leve, gostosa, com personagens cativantes e carismáticos. Quer saber todas minhas impressões sobre este livro? Então vem conferir o vídeo e se gostou, não esqueça de dar um like e se inscrever no canal se ainda não for inscrito.

.

o caderninho de desafios de dash e lily
.
O caderninho de desafios de Dash e Lily – David Levithan e Rachel Cohn
Galera Record
Ano: 2016 / Páginas: 256
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino
4 star

comprando

24/06/2016
/

[Resenha] Elena – a filha da princesa

Posted in Livros by

54 - ElenaEste não é um conto de fadas comum. Sim, existe uma princesa. Não uma donzela, mas uma jovem moderna, preocupada com os problemas de seu tempo. Há também um príncipe. Só não espere que ele seja um perfeito cavalheiro. Afinal, uma pitada de bad boy nunca fez mal a nenhum herói. Elena, filha da princesa Ana — a brasileira que se tornou herdeira do trono da Krósvia —, já não é mais a menininha apaixonada pelo primo Luka, com quem deu o primeiro beijo aos 13 anos. Cresceu, namorou, viajou o mundo. Mas uma notícia surpreendente a faz voltar para casa… justamente quando obrigações familiares também exigem a presença de Luka. O reencontro é explosivo. Luka não estava preparado para adulta que a prima tímida se tornou. Uma mulher que sabe muito bem o quer. E quem quer.

Chega ao fim a série de livros De repente Ana. Elena, a filha da princesa fecha com chave de ouro a série de uma autora que a cada livro escrito, prova que realmente veio pra ficar. Elena é a filha da Princesa Ana e do Príncipe Alexander, que conhecemos muito bem nos livros anteriores.

Mesmo tendo nascido em um berço de ouro, na monarquia, Elena nunca foi uma menina mimada. Pelo contrário, sempre quis ser respeitada como pessoa, independente de ser ou não uma princesa. Muito engajada com causas humanitárias, ela se encontra em uma aldeia na Nigéria, ajudando na alfabetização de crianças. Mas é obrigada a voltar às pressas para a Krósvia, após um telefonema de seu pai, comunicando que sua mãe, a Princesa Ana está grávida de gêmeos e é uma gravidez de risco. Muito preocupada com a saúde da mãe, Elena volta imediatamente.

Chega o dia do casamento de sua prima Luce, a família toda reunida, felizes celebrando esse momento mágico, quando de repente o clima de alegria é quebrado com a chegada de Luka, irmão da noiva, o primo rebelde, afastado da família a muito tempo, mas que no começo da adolescência, foi a grande paixão de Elena.

Luka não é bem vindo no evento, a não ser por sua mãe Marieva e por suas irmãs. E ele sabe disso, mas não se importa, pelo contrário, ele quer mesmo é chocar essa família que para ele é desprezível. Ele tem um choque gigantesco ao descobrir que a linda mulher que ele ficou de olho na festa, na verdade é sua priminha irritante e carente Elena. Ele se aproxima dela, mas logo é impedido pelo pai de Elena, o Príncipe Alexander.

elena a filha da princesa

Elena fica extremamente balançada ao ver o primo, que está ainda mais lindo e atraente, um verdadeiro badboy tatuado, sedutor. Os dois acabam se aproximando para ira de toda a família. Luka é tão indesejado na família por, no passado, ter sido o causador de uma grande desgraça, uma verdadeira tragédia. Mas ninguém quer contar para Elena o motivo desse segredo, guardado a sete chaves a tanto tempo por todos.

Os capítulos são alternados entre os dois personagens principais, Elena e Luka, cada um mostrando seu ponto de visto sobre determinado assunto. Elena sente orgulho de ser tão madura e independente mas algumas atitudes acabam se mostrando contrária a esse seu princípio. Já o personagem de Luka, me irritou muito, por ser tão convencido e prepotente. O relacionamento dos dois é bem típico ao de qualquer casal da literatura Young adult/Jovem adulto.

O que pra mim, fez toda a diferença, foi o modo como a autora escreve e como ela trabalha no crescimento de seus personagens. É nítido durante a narrativa, o crescimento emocional tanto da Elena quanto de Luka. Ao descobrirmos os segredos do passado de Luka, até dá pra compreender suas atitudes. Enfim, o livro tem seus altos e baixos, mas no geral me agradou bastante. E certamente vai agradar aos fãs da Marina Carvalho e fãs de Young Adult. Leitura recomendada! Leiam!

Elena – a filha da Princesa – Marina Carvalho
Galera Record
Ano: 2015 / Páginas: 322
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino
4 star

21/11/2015
/

[Resenha em vídeo] À procura de Audrey

Posted in Vídeos by

57 -À procura de AudreyAudrey, 14 anos, leva uma vida relativamente comum, até que começa a sofrer bullying na escola. Aos poucos, a menina perde completamente a vontade de estudar e conhecer novas pessoas. Sem coragem de sair de casa e escondida por um par de óculos escuros, a luz parece ter mesmo sumido de sua vida. Até que ela encontra Linus e aprende uma valiosa lição: mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor.

À procura de Audrey é o primeiro livro da diva Sophie Kinsella dedicado ao público jovem. O livro é puro amor, não poderia ser diferente vindo dessa autora que para mim, é a melhor autora do gênero chick-lit que eu adoro! Confiram no vídeo minhas impressões sobre essa fofura em forma de livro. E não esqueça de dar um joinha no vídeo se você gostar e também se inscrever no Canal para receber todas os vídeos em primeira mão. Beijos!

.

capa a procura de audrey

À procura de Audrey – Sophie Kinsella
Galera Record
Ano: 2015 / Páginas: 336
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino
4 star

18/11/2015
/

[Resenha] Ela não é invisível

Posted in Livros by

47 - Ela não é invisívelLaureth é uma adolescente cega de 16 anos, e seu pai é um autor conhecido por escrever livros divertidos. De uns tempos pra cá, ele trabalha em uma obra sobre coincidências, mas nunca consegue termina-la. Sua esposa acha que ele está obcecado e prestes a ter um ataque de nervos. Laureth sabe que o casamento dos pais vai de mal a pior quando, de repente, seu pai desaparece em uma viagem para a Áustria e seu caderno de anotações é encontrado misteriosamente em Nova York. Convencida de que algo muito errado está acontecendo, ela toma uma decisão impulsiva e perigosa: rouba o cartão de crédito da mãe, sequestra o irmão mais novo e entra em um avião rumo a Nova York para procurar o pai. Mas a cidade grande guarda muitos perigos para uma jovem cega e seu irmãozinho de 7 anos.

Laureth, é uma adolescente de 16 anos, cega. Como não conhece o mundo através de seus olhos, ela não se sente mal ou triste por não poder enxergar. Seu braço direito e companheiro inseparável quando está em casa é o irmão caçula Benjamin, de apenas 7 anos. Através de aplicativos especiais para deficiente visual, instalados no computador de seu pai, ela tem a função de checar regularmente os email encaminhados a ele, que é um famoso escritor. Ao ler um desses emails, ela percebe que algo está errado e toma uma arriscada decisão.

O email informava que o caderno de anotações de seu pai, do qual ele não se separa nunca, foi encontrado em Nova Iorque. O estranho é que o pai de Laureth viajou para Áustria e não para os Estados Unidos. Tentando de todos os meios, entrar em contato com o pai e não obtendo resposta, Laureth decide partir para Nova Iorque a procura do pai. Com a ajuda do irmão Benjamim eles partem rumo ao desconhecido, já que os dois jamais viajaram sem os pais. Laureth precisa o tempo todo ser guiada por Benjamim, mas eles já são tão acostumados com esse ritual que só alguém que realmente saiba que ela é deficiente visual poderia perceber. Senão, passariam tranquilamente por um casal de irmãos de braços dados.

Ao recuperar o caderno do pai, eles irão seguir as poucas pistas que conseguem encontrar, um nome de hotel e vários relatos de Edgar Allan Poe. No decorrer do dia, Laureth acaba percebendo que o assunto que seu pai tanto se dedica, as coincidências, podem estar mais presentes na vida do que qualquer um poderia imaginar.

ela nao e invisivel

Ela não é invisível tem uma narrativa que flui facilmente. Os personagens são extremamente carismáticos. Fui conquistada por Laureth e seu irmãozinho já nas primeiras páginas. Percebe-se nitidamente o grande conhecimento que o autor tem do assunto “coincidências”. Como por exemplo o número 354, que está presente em diversos momentos da narrativa, inclusive em diversos títulos de capítulo,  com três palavras de 3, 5 e 4 letras. Achei isso fascinante! O autor cita alguns fatos verídicos e nomes de alguns estudiosos no assunto, como Albert Einstein e Carl Jung.

O que mais me marcou na história, foi o ponto de vista de Laureth, como ela “enxerga” o mundo, como se sente em relação às pessoas, que muitas vezes se apiedam de sua condição. Foi uma verdadeira lição de vida, perceber a alegria e disposição com que Laureth encara a vida. Uma história muito fofa com uma pitada de suspense e mistério. Leitura super recomendada! :)

Ela não é invisível – Marcus Sedgwick
Galera Record
Ano: 2015 / Páginas: 256
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino
4 star

 

sobre o autor2

marcus sedgwickMarcus Sedgwick trabalhou como editor de livros infantis e juvenis, e antes disso, era vendedor em um livraria. Atualmente é escritor em tempo integral. Seus livros foram finalistas de prêmios literários importantes como o Guardian Children’s Fiction, o Blue Peter Book e o Edgar Allan Poe.

02/10/2015
/

[Resenha] Síndrome Psíquica grave

Posted in Livros by

26 - Síndrome Psíquica graveA paciente, Leigh Nolan (essa sou eu), começou seu primeiro ano na Universidade de Stiles. Ela decidiu se formar em psicologia (apesar de seus pais preferirem que ela estudasse tarô, não Manchas de Rorschach). Leigh tem a tendência a analisar demais as coisas, especialmente quando isso envolve o sexo oposto. Exemplo: por que Andrew, seu namorado de mais de um ano, nunca a convida para passar a noite com ele e dar o próximo passo no relacionamento — leia-se transar? E por que ela passou a ter sonhos eróticos com Nathan, o colega de quarto de Andrew que tanto a odeia? Fatos agravantes incluem: outros alunos de psicologia supercompetitivos, uma professora que precisa urgentemente de análise e uma colegial que acha que Leigh é, em uma palavra, ingênua.

Comecei a ler Síndrome Psíquica grave sem grandes expectativas, talvez por isso tenha achado a história tão fofa! Sempre, sempre mesmo que tenho altas expectativas quanto a uma leitura, acabo me decepcionando. Depois de ler vários livros tensos e “pesados”, estava querendo uma leitura mais leve e divertida e acertei em cheio na minha escolha!

Leigh Nolan está no primeiro ano do curso de Psicologia e sua principal mania é analisar todos a sua volta, as pessoas e seus relacionamentos. Começando pelo seu namoro com Andrew. Os dois estão juntos a mais de um ano e Leigh não entende por que ele nunca a convidou para dormirem juntos, já que moram no campus da universidade e não há nada que impeça de darem um passo a mais em seu relacionamento. Além disso, ela tem que lidar com a indiferença e antipatia do (lindo) colega de quarto de seu namorado, Nathan. Leigh não consegue imaginar por que Nathan a despreza tanto.

Síndrome Psíquica Grave

Síndrome Psíquica Grave

Leigh é uma personagem bastante insegura e dramática, mas para o lado cômico da situação. Sua colega de quarto, Ami é mais prática e direta em relação a relacionamentos e enxerga coisas que Leigh não vê ou simplesmente prefere não ver. Começando com seu relacionamento com Andrew que é definitivamente um fracasso, mas ela simplesmente se conforma com a situação. Até o dia em que Leigh tem um sonho romântico com Nathan e sua percepção em relação ao seu namoro acaba mudando…

A leitura de Síndrome Psíquica grave possui um ritmo linear, sem altos e baixos ou grandes reviravoltas. A narrativa da autora flui facilmente, um livro de leitura super rápida e prazerosa. Apesar da personagem principal ser uma cabeça de vento, ela é adorável em sua ingenuidade e mania de criar tempestades em copo d’água. O desenrolar da história é bem previsível, mas isso não me incomodou em nada já que não há um grande mistério ou reviravolta iminente.  Eu gostei bastante e super indico para fãs de Jovem Adulto/YA Book. Leitura leve, divertida e despretensiosa. Leiam!

Síndrome Psíquica grave – Alicia Thompson
Galera Record
336 páginas
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino

4 star

tag sobre a autoraalicia thompson

Alicia Thompson é formada em psicologia pela New College of Florida e escreveu este romance em seu último ano de faculdade. Seus contos “Abby Greene for President” e “Stealing Mark Twain” foram publicados na revista Girl’s Life.

 

 

02/06/2015
/

[Resenha] As confissões das irmãs Sullivan

Posted in Livros by

as confissoes das irmas SullivanA avó das irmãs Sullivan reúne a família para anunciar que em breve morrerá. E, possivelmente pior, que removeu toda a família de seu testamento. Como ela é a fonte de quase toda a renda familiar, isso significa que ficarão sem um tostão. Ela foi ofendida por alguém da família, mas diz que, se o ofensor se revelar com uma confissão do seu crime enviada para seu advogado, ela pode recolocar a família no testamento. Agora, nenhum segredo é grande ou demais para as irmãs Sullivan. E que comecem as confissões.

Na família Sullivan, quem dá a última palavra é sempre a avó, Arden Louisa Norris Sullivan Weems Maguire Hightower Beckendorf,  “carinhosamente” chamada por todos de Poderosa Lou. Muita rica, é ela quem praticamente sustenta  o filho, a nora e seus  seis netos.  Na noite de Natal, Poderosa anuncia que está muito ofendida por algo que uma das irmãs Sullivan lhe fez. Mas não conta quem a ofendeu e nem o motivo. Ela simplesmente exige que a culpada assuma seus erros em uma carta, que deverá lhe ser entregue até o Ano Novo.  Poderosa revela também uma notícia bombástica… ela morrerá em breve. E caso a culpada não se manifeste até o prazo estipulado por ela, toda a família será banida de seu gordo testamento.

Quem primeiro decide assumir seus erros na tal carta é Norrie, a irmã mais velha, de 17 anos. Ao conhecer um garoto mais velho, estudante de cinema ela acaba decepcionando toda a família. E comete uma loucura, que pegou todos de surpresa, já que Norrie sempre foi a filha mais centrada e o exemplo da família. Ela tem absoluta certeza que esse seu ato inconsequente foi o motivo de ter ofendido sua avó. Na carta, ela narra todos os acontecimentos e pede desculpas a Poderosa.

As confissões das irmãs Sullivan

As confissões das irmãs Sullivan

Jane é a ovelha negra da família. Adora causar impacto nas pessoas, é uma legítima rebelde sem causa. Ela criou um blog chamado minhafamiliamalvada.com onde expõe todos os “podres” da família Sullivan, desde a adolescência da avó e seus muitos casamentos milionários,  até os dias de hoje. Jane está convicta de que ela é a culpada. Óbvio que é o seu blog, cada vez mais acessado, o motivo da família estar prestes a perder a herança.

Sassy é a caçula das irmãs. A mais calma e paciente da família e acredita piamente que jamais será perdoada por Poderosa, já que o que ela fez é inaceitável. Ela não fez de propósito, mas é algo tão grave e sem volta, que ela mesma jamais irá se perdoar por isso. Em sua carta, ela admite tudo e confessa que entenderá perfeitamente se Poderosa lhe negar o perdão. Será merecido.

As confissões das irmãs Sullivan mostra como o famoso ditado “Se a carapuça te servir…” faz sentido. Cada uma das irmãs acredita ser a culpada pelo provável futuro miserável da família. Com a confissão de cada uma, o leitor fica tentando descobrir qual das irmãs fez aquilo que tanto ofendeu a avó. Só consegui criar uma opinião após as  três confissões, e no final eu estava errada. Claro que essa é exatamente a intenção da autora Natalie Standiford, pois o desfecho da história é bem inusitado.

As confissões das irmãs Sullivan

As confissões das irmãs Sullivan

Os personagens são bem construídos, cada uma delas com personalidades bem diferentes. Minha favorita foi Norrie, a irmã mais velha, que sofreu muito ao decepcionar sua família. Mesmo sabendo que foi por amor. Jane é a mais engraçada. Sua rebeldia era friamente calculada e nem sempre saia como planejado. As cenas mais engraçadas foram protagonizadas por ela. Sassy é uma chata. Não gostei dela e até mesmo o motivo que ela deu para ter ofendido a avó foi banal, na minha opinião. O irmão caçula Takey, de seis anos  também é um fofo! Bem aquele tipo de irmão caçula pentelho, mas no fundo muito carinhoso.

Confesso que esperava mais da história, imaginei que teria mais comédia. Um livro para ler sem pretensão, sem grandes expectativas, mas no geral é bem fofo! A narrativa flui facilmente, daqueles livros que pode facilmente ser lido em um dia. Querem descobrir a culpada dessa história? Leiam As confissões das irmãs Sullivan :)

As confissões das irmãs Sullivan – Natalie Standiford
Galera Record
352 páginas
Comprar: Amazon|Saraiva
3 ESTRELAS
 
sobre a autoranatalie standiford
 

Natalie Standiford nasceu e cresceu em Maryland, com dois irmãos e uma irmã, não tantos quanto os  Sullivan, mas o suficiente para aprontar. Seu primeiro romance, Como dizer adeus em robô, publicado pela Galera Record em 2013, foi declarado o melhor livro do ano pela Kirkus Review. Ela mora em Nova York e pode ser encontrada em www.nataliestandiford.com

12/03/2015
/

Amy e Matthew [Resenha + Sorteio]

Posted in Livros by

4 - Amy & Matthew (FEVEREIRO)Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro… exceto o que mais importa.

Amy é uma jovem extremamente inteligente, sempre demonstrando sua alegria de viver, e um excelente humor apesar de ter nascido com uma grave deficiência que limita seus movimentos e sua fala. Ela se movimenta apenas com um andador adaptado também com um sintetizador que transforma em voz tudo o que Amy digita. Matthew é um  menino metódico que sofre de TOC. Ele tem compulsão por limpeza e por números. Ele cultivou um fascínio durante toda vida por Amy e pelas peculiaridades de seu corpo.

Apesar de hoje em dia praticamente não ter amigos e nem uma vida social normal a qualquer menino de sua idade, Matthew costuma ser sincero, sempre diz a verdade, mesmo que isso possa magoar alguém.
E é justamente por esse motivo que Amy e Matthew acabam se aproximando. Nicole, a mãe dela, sempre quis que a filha se destacasse por sua inteligência, superior a da maioria dos jovens de sua idade. Quando Nicole, resolve trocar seus cuidadores adultos por jovens, estudantes como ela (depois de muita insistência da filha) Amy descobre finalmente como é ter amigos. Mesmo imaginando que nem todos seus “novos amigos” são sinceros, já que estão ali pelo dinheiro. Matthew logo ataca Amy com sua sinceridade, lhe dizendo para parar de fingir que é feliz o tempo todo, e enxergar sua dolorosa situação.

O que poderia ter deixado Amy arrasada, teve o efeito contrário. Era de alguém exatamente como Matthew que Amy precisava. Alguém que não ficasse ao seu lado por caridade, pela sua condição. A ligação entre os dois foi imediata. Matthew rapidamente se tornou o cuidador favorito de Amy, aquele por quem ela ansiava a semana inteira. Os dois trocavam confidências sobre seus sentimentos, seus medos e desejos. Foi a primeira vez que Matthew teve coragem de assumir para alguém que realmente tinha problemas mesmo Amy já tendo percebido.

Amy & Matthew

Amy & Matthew

“Eu tenho a sensação de que quero estar sempre aqui, com você. Ajudando. Como se este devesse ser meu trabalho ou algo assim. Este é o meu lugar. Ele não pôde evitar. Começou a chorar enquanto falava. Não sei se vou se bom em muitas coisas, mas sou bom nisso. Sou bom quando estou com você…”

Os dois acabaram ficando cada vez mais tempo juntos. Enquanto ele a auxiliava com suas tarefas diárias, como ajudar a comer, carregar os livros no colégio, etc, Amy tentava o ajudar com seu problema de TOC, o incentivando a ir ao médico e ler alguns livros sobre o assunto. Um passou a conhecer o outro como ninguém, Matthew conseguia identificar os sentimentos de Amy com um simples mover de sobrancelhas, já que suas expressões faciais são praticamente zero. E ela percebia imediatamente quando ele não estava em um bom dia.

“Talvez eu quisesse que algumas coisas em você fossem diferentes, do mesmo jeito talvez que você quisesse que algumas coisas em mim também fossem…

.

Amy & Matthew é um livro muito doce e delicado, que todos deveriam ler. Vemos a amizade e o amor entre duas pessoas tão diferentes, que vai crescendo aos poucos, mesmo sendo claros os defeitos de cada um, uma verdadeira lição de vida. A sutileza da escrita da autora faz toda a diferença. Amy é uma personagem incrível, não é capaz de verbalizar, mas expressa suas opiniões como ninguém. O que mais se admira em Matthew é a vontade de querer ser melhor, de enfrentar seus próprios temores, de ser alguém digno do amor de Amy.

O que chama a atenção no início é a premissa diferente, uma forma de amor não muito convencional na literatura. Os pensamentos, diálogos e emoções expressas pelos personagens são incríveis! Apesar de claramente percebermos suas fraquezas, o que mais admiramos no fim foi a coragem de cada um. A coragem de lutar para ser melhor para si e para o outro. A coragem de Amy ao enfrentar a mãe e toda a sociedade.

Uma história emocionante e delicada. Cheia de lições de vida. Um amor puro e inocente, narrado de forma sutil e delicado. Impossível não se apaixonar por Amy & Matthew. Sem dúvida o casal mais fofo da literatura. Super recomendo. Leiam!

Amy & Matthew – Cammie McGovern
Galera Record
336 páginas
Comprar: Amazon||Americanas||Saraiva||Submarino
5 estrelas2
sobre a autora
 
cammie mcgovernCammie McGovern foi premiada com uma bolsa de estudos na Stanford University e tem recebido numerosos prêmios por sua criatividade e habilidade em curta ficção. Suas histórias têm aparecido em várias revistas e jornais, e ela é autora de outros romances, como The Art of Seeing. Ela vive em Amherst, Massachusetts, com seu marido e seus três filhos, o mais velho é autista. Ela é uma das fundadoras do Whole Children, um centro de recursos que oferece aulas extra-escolares e programas para crianças com necessidades especiais.
 
sorteio
 

a Rafflecopter giveaway

06/02/2015
/

Todo dia

Posted in Livros by

49 - Todo diaNeste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

Assim que esse livro chegou em minhas mãos, presente mega fofo da Galera Record, comecei a folheá-lo. A minha intenção era “dar só uma lidinha” no primeiro capítulo, pois já estava lendo outro livro. Mas quem disse que eu consegui largá-lo antes de virar a última página?

A, tem uma vida bastante estranha. A cada manhã ele habita um novo corpo. Sempre de jovens com 16 anos, assim como ele. Pode ser menino, menina, gay, lésbica, gordo, magro… e por isso ele precisa se adaptar ao seu novo corpo todos os dias.

O passado não me ofusca, nem o futuro me motiva.

Concentro-me no presente, porque é nele que estou destinado a viver.

0

Mas A já está acostumado, pois essa é a única vida que ele sempre teve. Nunca interfere e nem se envolve na vida de seu “hospedeiro”, pois ele estará nesse corpo somente por um dia. Até que uma manhã, ele acorda no corpo de Justin, até ai, nada demais. Mas quando ao chegar na escola, ele conhece Rhiannon, a namorada de Justin, seu mundo passa a ter uma nova prioridade.

Ele vive o dia de Justin intensamente, leva Rhiannon à praia e a trata como ela nunca foi tratada por seu namorado. A está apaixonado. Mas o que fazer para viver esse amor, se a cada dia ele é uma pessoa diferente? Contrariando seus propósitos, ele decide abrir o jogo com Rhiannon e conta a ela seu estranho modo de vida.  Ela custa a acreditar, mas afinal acredita nele.

É muito difícil ter uma noção verdadeira do que é a vida quando se está num único corpo. Você fica tão preso a quem você é. Mas quando quem você é muda todos os dias, você fica mais próximo da universalidade.

0 (1)

Os sentimentos de Rhiannon por A brotam rapidamente pois a gentileza e o carinho que ela sentiu estando ao lado dele, jamais havia sentido. No começo foi bem impactante para ela, pois a cada dia uma nova “pessoa” aparecia, e essa pessoa era sempre A. Quando A estava no corpo de um menino era mais fácil para Rhiannon pois eles já estavam se entendendo apenas pelo olhar. Mas quando ele aparecia no corpo de uma menina, era bem complicado. Ela não conseguia relaxar, era muito estranho beijar, tocar uma outra menina, mesmo sabendo que lá dentro dela era A quem estava.

Mas Rhiannon já estava tão envolvida e apaixonada por A que já não se importava mais qual seria seu próximo corpo. Negro, loiro, obeso, drogado, suicida, ela fazia de tudo para encontrá-lo, mesmo ele podendo estar a algumas cidades de distância. Ela pegava o carro, inventava uma desculpa para seu namorado Justin e ia aproveitar o dia ao lado de seu amor A.

Acho importante ressaltar que A não tem gênero masculino ou feminino, ele é o que ele acorda. Mas em todo momento da leitura eu só o imaginava como um menino. Independente de qualquer corpo que estivesse.

Na minha experiência, desejo é desejo, amor é amor. Nunca me apaixonei por um gênero. Apaixonei-me por indivíduos. Sei que é difícil as pessoas fazerem isso, mas não entendo por que é tão complicado, quando é tão óbvio.

0 (2)

Nunca tinha lido um livro com tantas quotes perfeitas! Se eu fosse anotar todas aqui, ia acabar passando praticamente o livro todo pra resenha. :love:  O ponto forte da história na minha opinião, além do amor impossível, claro, foi a história de vida de alguns dos “hospedeiros” de A. Algumas histórias bem tristes e marcantes como as de Kelsea e Dana.

O livro traz subentendido, a mensagem daquele velho ditado “Quem vê cara não vê coração”. E nos faz refletir: Será que se quem amamos, tivesse cada dia uma imagem diferente, o amor continuaria a ser o mesmo? Ou estamos acostumados apenas com a imagem de quem ou daquilo que amamos? Se bem que na história, não é somente a imagem que muda, mas também o endereço. O que torna o amor de A e Rhiannon cada vez mais impossível.

A história de amor mais inusitada que já li na vida! Jamais poderia  imaginar uma história com uma premissa tão original. David Levithan é “O Cara” já virei super fã, em apenas um livro que leio dele. Ele é incrível! Com diálogos inteligentes e reflexivos ele prende o leitor da primeira à última página, sem tomar fôlego. Só o que achei bem frustrante foi saber que o livro não tem continuação. Pois eu queria tanto saber o que acontece “depois do fim”… o jeito é usar minha imaginação. :wink:

Uma leitura super recomendada e que foge da mesmice dos YA Books que estamos acostumados a ler, sempre tão clichês. Um livro único e marcante. Eu adorei!

Sobre o autor:

11664David Levithan (nascido em 07 de setembro de 1972, Short Hills, New Jersey) é um editor de ficção gay jovem americano adulto e autor premiado. Ele teve seu primeiro livro, Boy Meets Boy, publicado em 2003. Ele tem escrito inúmeras obras com personagens gays do sexo masculino, principalmente Boy Meets Boy e Nick and Norah’s Infinite Playlist. Aos 19 anos, Levithan recebeu um estágio na Scholastic Corporation, onde começou a trabalhar na série The Baby-sitters Club. Dezessete anos depois, Levithan ainda está trabalhando para Scholastic como diretor editorial. Levithan é também o editor-fundador do PUSH, uma marca jovem-adulto da Scholastic Press enfocando novas vozes e novos autores.

 

Todo dia – David Levithan
Galera Record
279 páginas
Comprar: Saraiva
pic010demoji_6229242decoojppic010demoji_6229242decoojppic010demoji_6229242decoojppic010demoji_6229242decoojppic010demoji_6229242decoojp

 

21/08/2013
/

O Futuro de nós Dois

Posted in Livros by

29 - O futuro de nós doisÉ 1996, e menos da metade dos alunos das escolas de ensino médio nos Estados Unidos já tinham usado a internet. Emma acaba de ganhar o primeiro computador e um CD-ROM da America Online de Josh, seu melhor amigo. E ao instalar o programa, logo no primeiro acesso, descobrem que acabam de entrar no Facebook, dali a quinze anos. Todos se perguntam como será o futuro. Josh e Emma estão prestes a descobrir…

Emma, é uma jovem de 16 anos, filha de pais separados. Seu pai, para agradá-la, por estar sempre ausente, acaba de lhe dar o presente dos sonhos de todo adolescente de 1996. Um computador com internet. Emma é uma das poucas garotas de sua turma a ter o privilégio de ter acesso à internet e uma conta de email só sua ;)

Seu vizinho e melhor amigo, Josh lhe deu o CD-ROM de intalação da AOL. A amizade dos dois anda um pouco balançada desde um acontecimento constrangedor que houve alguns meses atrás. Mas eles sentem muita falta  um do outro e estão voltando à amizade antiga.

Para surpresa de Emma,  certo dia, ao ligar o computador e digitar sua senha e usuário do AOL, surge na tela um site estranho, com detalhes em azul e o nome FACEBOOK. Ela não tem idéia do que seja aquilo e resolve investigar.

Surpresa maior ainda ela tem ao ver uma pequena foto no canto esquerdo, uma mulher aparentando ter uns 30 anos. Essa mulher se parece muito com ela própria, só que mais velha. E o nome dela é … Emma Nelson Jones

Emma Nelson Jones
Pensando em fazer luzes.
Há 4 horas Curtir Comentar
 

Essa mulher é Emma, só que daqui a 15 anos!!! Emma fica completamente aturdida, sem entender nada. Tem certeza que é algum tipo de pegadinha que estão fazendo com ela. Só pode ser coisa do Josh… ela continua a vasculhar e agora tem certeza de que essa mulher é ela no futuro e essa Emma está casada!

Ela resolve mostrar o tal FACEBOOK a Josh, que jura de pé junto que não tem idéia do que seja aquilo, não tem nada a ver com esse misterioso site que mostra as pessoas no futuro. E só por curiosidade, os dois procuram o nome de Josh e acabam encontrando também. E para surpresa dos dois, descobrem que no futuro, Josh é casado com a garota mais linda e popular do colégio, Sydney Mills.

Emma decide procurar o seu futuro marido e descobrir coisas sobre a vida dele. Só que o que ela descobre não lhe agrada, e como pelo seu perfil do Facebook, ela descobriu que conheceria seu futuro marido numa certa universidade, ela toma a decisão de jamais pisar nessa tal universidade.

Ao mudar o presente, Emma descobre que fatalmente irá alterar também o seu futuro. E a partir de então, todos seus atos presentes irão refletir no seu futuro dali a 15 anos. Ela passa a viver em função do tal Facebook. Procura pelo nome de sua melhor amiga e seus familiares e faz o que pode para também mudar o futuro deles, se o que ela vê não é um futuro agradável.

A amizade com Josh que antes estava balançada, começa a se fortalecer novamente, os dois estão cada vez mais próximos e o sentimento de Josh por Emma, começa a ganhar forças novamente. Ela sabe que seu melhor amigo não quer apenas sua amizade, mas fazer o que? Josh é apenas… Josh.

Assim que li a sinopse desse livro me interessei imediatamente. Com uma  premissa bem diferente do que estamos acostumados a ver nos YA Books. Falando de um tema super atual que é o Facebook ele rende boas risadas.

“Eu não sei exatamente o que é, mas parece ser um site interconectado em que as pessoas mostram suas fotos e escrevem sobre tudo o que está acontecendo na vida delas, como por exemplo, que encontraram um lugar para estacionar ou o que comeram no café da manhã.”

A relação dos vizinhos e melhores amigos me lembrou bastante de “Lola e o garoto da casa ao lado” que é um dos meus YA Books favoritos. “O futuro de nós dois” é uma comédia romântica deliciosa, com uma leitura fácil e rápida. Me fez voltar no tempo, e lembrar como era nossa vida sem internet. Tantas coisas que temos acesso hoje que naquela época seria impossível imaginar.

— O que é um Blog? — pergunto.

— Não faço idéia — responde Emma

Os capítulos são alternados, sob o ponto de vista de Emma e Josh. Gostei muito mais dos capítulos escritos pelo Josh. A Emma é legal, mas achei ela muito afetada e um pouco paranóica demais com essa coisa de futuro. Mas na verdade imagino que qualquer um de nós, hoje em dia, se tivesse acesso a um site que nos mostrasse nosso futuro daqui a 15 anos, certamente seríamos totalmente paranóicos também.

Enfim, leitura recomendada para leitores de todas as gerações. E para aqueles que tem seus quase 30 ou um pouquinho mais (como é meu caso) preparem-se para uma verdadeira viagem no tempo, com várias referências a músicas, filmes e objetos marcantes naquela época. Uma delícia de leitura, eu recomendo!  :P

O futuro de nós dois – Jay Asher & Carolyn Mackler
Galera Record
382 páginas
Comprar: Saraiva

pic010demoji_6229242decoojppic010demoji_6229242decoojppic010demoji_6229242decoojppic010demoji_6229242decoojp

Imagem 200000

 
31/05/2013
/

Minha vida agora

Posted in Livros by

Uma garota nova-iorquina de 15 anos desembarca na Inglaterra, enquanto uma nova grande guerra está prestes a começar, para passar uma temporada com a tia e quatro excêntricos primos totalmente desconhecidos. Na imensa casa de campo, longe da agitação de Manhattan e dos conflitos com a nova madrasta, grávida do bebê que pode lhe tirar o pouco que lhe resta do pai, Daisy descobrirá o amor, o desejo, a liberdade de um cotidiano sem adultos e o valor da amizade verdadeira.

Sabe quando você começa a ler um livro esperando uma coisa, e depois percebe que é outra completamente diferente?  A leitura de “Minha vida agora” foi assim…

Pela sinopse na orelha do livro, imaginei que fosse contar a história de uma garota de 15 anos, nova iorquina que vai para Londres passar uma temporada na casa da tia, curtir umas férias se divertindo com seus primos.

Na verdade, Daisy vai mesmo para Londres na casa de campo de sua tia. Ela não aguentava mais encarar sua madrasta Davina – a Diabólica, que está grávida. Então seu pai, com muitos cuidados com sua nova esposa e sem saber o que mais fazer com sua filha adolescente que tem distúrbios alimentares, resolve mandá-la para Londres.

Ao chegar em Londres, tudo é completamente diferente do que Daisy esperava. Quem foi ao aeroporto buscá-la foi seu primo  Edmond, de 14 anos, fumando e dirigindo um jipe muito precário. Ao chegar a casa de campo ela conhece o restante da família, seus primos Isaac, Osbert e Piper. Sua tia não estava em casa, por conta de seu trabalho fora, apenas os filhos e isso já causou uma grande estranheza em Daisy, uma casa supervisionada somente por “crianças”, sem um adulto por perto.

Após se familiarizar com os primos, principalmente com Piper de 9 anos, com a casa, os animais e todo o ambiente da fazenda, Daisy começa a curtir muitos suas férias. Juntos, eles fazem “acampamento” no celeiro, pescarias e várias outras atividades. Com a proximidade cada vez maior entre eles, Daisy vive seu primeiro amor… pelo primo Edmond. Um amor ingênuo e correspondido.

Mas o que ninguém esperava, era que uma guerra fosse estourar no exato momento de maior paz e harmonia que podiam estar vivendo. Sua tia estava em Oslo e ninguém podia entrar ou sair do país. As crianças estavam completamente sozinhas, por si mesmas. O exército invadiu a casa e as crianças foram separadas. Os meninos para um lado e Daisy e Piper para outro. Nesse momento a história toma um novo e inesperado rumo.

No começo da história é tudo tão comum, narrado em primeira pessoa, por Daisy, a narrativa é até um pouco confusa e bagunçada. Como se ela estivesse nos contando uma história, quase sem tomar fôlego, emendando frases longas e até mesmo dexconexas. A falta de pontuação nos diálogos me incomodou um pouco, mas somente até acostumar com esse novo jeito de escrita. Só que simplesmente não conseguia enxergar Daisy com 15 anos apenas. A linguagem dela me pareceu desde o começo de um adulto.

A minha maior surpresa foi encontrar em um livro tão pequeno, (175 pgs) tantos sentimentos fortes como amor, amizade, sofrimento e luta pela sobrevivência. Algumas cenas são bastante fortes e violentas, que podem mexer com o leitor.

“Nem sempre você tem a  oportunidade de escolher o tipo de notícia que recebe.”

Enfim é uma história tocante, profunda e singela, que vai mexer com o coração dos leitores. O livro será adaptado para o cinema (#adoro) O filme já está em fase de pré-produção. Agora é aguardar para se emocionar com Daisy e seus primos na telona. Leitura recomendada!

Minha vida agora – Meg Rossof
Galera Record
175 páginas
Comprar: Submarino|| Saraiva
:heart: :heart: :heart:
.
.
11/09/2012
/