Browsing Tag:

Drama

Kindred – Laços de Sangue [Octavia E. Butler]

Posted in Livros by

39 - Kindred - Laços de Sangue (OUTUBRO)Em seu vigésimo sexto aniversário, Dana e seu marido estão de mudança para um novo apartamento. Em meio a pilhas de livros e caixas abertas, ela começa a se sentir tonta e cai de joelhos, nauseada. Então, o mundo se despedaça. Dana repentinamente se encontra à beira de uma floresta, próxima a um rio. Uma criança está se afogando e ela corre para salvá-la. Mas, assim que arrasta o menino para fora da água, vê-se diante do cano de uma antiga espingarda. Em um piscar de olhos, ela está de volta a seu novo apartamento, completamente encharcada. É a experiência mais aterrorizante de sua vida… até acontecer de novo. E de novo. Quanto mais tempo passa no século XIX, numa Maryland pré-Guerra Civil – um lugar perigoso para uma mulher negra –, mais consciente Dana fica de que sua vida pode acabar antes mesmo de ter começado.

Kindred – Laços de sangue, foi sem dúvida uma das melhores surpresas literárias para mim em 2017. Resolvi me arriscar em um gênero que não tenho a menor intimidade e felizmente acabei me surpreendendo muito posivitamente. Vem conferir o que eu achei dessa história linda e tocante. E não esqueça de se inscrever no canal se curtir a resenha. Beijão!

 

Kindred – Laços de Sangue – Octavia Butler
Editora Morro Branco
Ano: 2017 / Páginas: 432
Comprar: AMAZON
5 star

27/10/2017
/

A filha da herege (Kathleen Kent)

Posted in Livros by

5 starA_FILHA_DA_HEREGE_1294685422BEm 1752, Sarah Carrier Chapman escreveu uma carta à sua neta revelando um segredo que havia guardado cuidadosamente por seis décadas. Era um relato assombroso sobre os horrores de uma aldeia da Nova Inglaterra chamada Salem e que obrigaram Sarah, na época com apenas dez anos, a tomar uma decisão que mudaria sua vida para sempre. Uma história assustadora de uma época onde não se podia confiar em ninguém: conspirações, traições, meias verdades e uma crença que domina as pessoas através do medo. Descendente direta de Carrier, a autora traz à vida a Nova Inglaterra puritana em seu período mais sombrio, assim como uma família unida pela confiança na verdade e pelo amor de seus membros uns pelos outros.

 

Em 1752, Sarah Carrier Chapman, doente e confinada em sua casa, escreve uma carta à neta revelando um segredo cuidadosamente guardado por seis décadas: um relato sobre os episódios ocorridos em Salem -uma aldeia da Nova Inglaterra – que a obrigaram, ainda menina, a tomar uma decisão que mudaria sua vida para sempre. A história se passa entre 1690 e 1692. Fala sobre uma família que superou dificuldades, intrigas, doenças e acusações, numa época em que varíola matava sem piedade, e as pessoas eram acusadas de bruxaria por qualquer motivo. É a história de uma família que, apesar das diferenças de personalidade e a dureza da vida, se amam incondicionalmente. Sara é uma menina de dez anos que vê sua vida e a vida dos seus, em suas pequenas mãos. E o que uma criança tão jovem, poderia decidir sobre um assunto de tamanha responsabilidade?

Uma leitura tão fácil e tão gostosa, que você nem percebe o tempo passar. Parece que você ta dentro do livro, revivendo tudo, ou, ouvindo a neta de Sarah, Lidya, ler a carta pra você. O livro conta com suavidade o verdadeiro terror de quem era acusado de bruxaria em Salem. Homens e mulheres, condenados à forca, apenas por olhar diferente para outra pessoa. A religião tinha um poder absurdamente grande nessa época. Ninguém ousava desacatar uma ordem vindo dela. Acredito que essa história realmente se passou algum dia. O que é muito triste e me faz pensar, em quantas mulheres, morreram injustamente. Julgadas e condenadas em nome de Deus. Quantas foram queimadas apenas por viverem de uma forma “diferente”?

a filha da herege

É basicamente impossível não comparar esse livro com os dias de hoje. Tirando a parte de queimar na fogueira, a religião ainda tem um poder muito grande sobre a vida das pessoas e, principalmente de nós mulheres. A fogueira só se tornou diferente, hoje não nos colocam presas em vigas, com lenha ao nosso redor, ou nos enforcam em árvores, mas nos expõem para o mundo através da internet, nos enforcam quando tentam nos calar, quando não nos deixam decidir por nós mesmas, quando ainda querem ter poder sobre nosso corpo e nossas decisões. Há ainda muito que se lutar pela independência e o emponderamento feminino, pelo direito de tomar nossas próprias decisões, pelo direito de se expressar e decidir o que é melhor para nós, sem que a igreja ou o estado, tente intervir como se fossem nossos donos. Felizmente, muita coisa já mudou ao longo dos séculos, mas a luta continua, ela não para nunca.

Comprei achando que era uma história arrepiante e tenebrosa sobre bruxaria, -o que não deixa de ser- levando em consideração que naquela época, bastava uma palavra errada, um olhar mais intimidador, para sermos presas, jogadas em cadeias improvisadas em porões, acorrentadas pelas mãos sem o mínimo de cuidado, passando fome, e finalmente enforcadas sem o direito de defesa.
São tantos elogios que eu tenho, que eu poderia ficar enumerando aqui o resto do dia.
Tive sorte de encontrá-lo em uma pilha de livros em uma feira. Já estava pronta para ir ao caixa pagar o que já havia escolhido, quando me deparei com esse. O título me ganhou e, quando comecei a ler, percebi que fiz a escolha certa.

A filha da herege – Kathleen Kent
Editora Nova Fronteira
Ano: 2010 / Páginas: 332
COMPRAR: Amazon
5 star

escrito por di azevedo

21/09/2017
/

A guerra que salvou a minha vida [Resenha + Sorteio]

Posted in Livros by

13 - A guerra que salvou a minha vidaAda tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.
Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor. Kimberly Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa. Essa é uma das belas surpresas do livro: mostrar a guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios.

Este livro é a coisa mais maravilhosa com que já me deparei nos últimos tempos. Uma história triste, mas ao mesmo tempo tão doce e terna. Confira todas as minhas impressões dessa maravilhosa história de guerra vista pelos olhos de uma criança.

a guerra que salvou a minha vida 1

 

a guerra que salvou a minha vida 2

sorteio
.
a Rafflecopter giveaway

A guerra que salvou a minha vida – Kimberly Brubaker Bradley
DarkSide Books
Ano: 2017 / Páginas: 240
COMPRAR: Amazon
favorito star

30/03/2017
/

[Resenha] A luz entre oceanos

Posted in Livros by

39-a-luz-entre-oceanosRomance de estreia da australiana M. L. Stedman, A luz entre oceanos alcançou as principais listas dos mais vendidos do mundo, incluindo o cobiçado ranking do The New York Times, onde permaneceu por mais de quatro meses. Escrito por uma advogada que aborda os limites da ética e os dilemas morais sob diferentes pontos de vista, o romance conta a história de Tom Sherbourne, faroleiro de uma ilha isolada na costa oeste da Austrália, e sua mulher, Isabel. Impedidos de ter filhos, a vida do casal sofre uma reviravolta quando um barco à deriva aporta na ilha. Publicado em 25 países, A luz entre oceanos é um livro emocionante sobre perdas trágicas e escolhas difíceis, sobre a maternidade e os limites do amor.

Fiz um post especial no canal, pedindo aos meus leitores queridos, que me indicassem algum livro para ler em Outubro. Recebi muitas e muitas indicações de livros maravilhosos! Confesso que foi difícil escolher entre tantas indicações, anotei todas mas acabei me decidindo por um drama, indicado por duas leitoras queridas. O livro escolhido foi “A luz entre oceanos”. Vem conferir minhas impressões sobre esta história maravilhosa, emocionante, que está com o filme entrando em cartaz neste final de semana.

a-luz-entre-oceanos

A luz entre oceanos – M.L. Stedman
Editora Rocco
Ano: 2013 / Páginas: 368
COMPRAR: AMAZON|AMERICANAS|SUBMARINO
favorito star

02/11/2016
/

[Resenha] Uma mulher livre

Posted in Vídeos by

31-uma-mulher-livre-setembroDos deslumbrantes salões de baile de Manhattan para os horrores da Primeira Guerra Mundial, Danielle Steel nos leva para um mundo fascinante de uma jovem de espírito indomável. Nascida numa vida de luxo e glamour, Annabelle Worthington carrega o sobrenome, e a nobreza, de uma das famílias mais influentes de Nova York. Até que, num dia cinzento de abril, o Titanic afunda, levando junto o seu mundo. Seus pais e seu irmão mais velho estavam na viagem inaugural do majestoso navio, e apenas sua mãe sobreviveu. Para tentar confortar seu coração, Annabelle se voluntaria para trabalhar em um hospital, ajudando a cuidar dos enfermos, onde descobre sua verdadeira vocação. E, quando um homem nobre a pede em casamento, ela acredita que, enfim, voltará a ter dias felizes. Porém, novamente, o destino lhe prega uma peça, colocando-a no centro de um escândalo. Para fugir da tristeza que sua vida se tornou, ela vai para a Europa trabalhar no front da Primeira Guerra Mundial, ajudando a salvar os feridos. Na França, no auge do conflito, Annabelle consegue realizar um grande sonho: estudar medicina. O problema é que, mais uma vez, sua fé é colocada à prova, e ela precisará tentar retirar forças de uma grande tragédia se quiser renascer para uma nova vida. Com uma narrativa de tirar o fôlego e repleta de detalhes históricos, Danielle Steel nos apresenta uma de suas personagens mais fascinantes e singulares, e sua história inspiradora de dignidade, coragem e amor pela vida.

A muitos anos eu não lia Danielle Steel, mas sempre gostei muito dos livros dela. “Uma mulher livre” é mais uma belíssima história que foca na vida de uma mulher que sofre muitas perdas e enfrenta muitos percalços na vida até superar sua dor. Vem conferir no vídeo o que eu achei desse livro. E se gostar, não esqueça de dar like no vídeo e se ainda não é inscrito, inscreva-se para ficar por dentro de todas as novidades. :)

uma-mulher-livre

Uma mulher livre – Danielle Steel
Editora Record
Ano: 2016 / Páginas: 294
Comprar: Amazon|Americanas|Submarino
4 star

comprando

28/09/2016
/

[Vídeo] TOP 5 – [Livros para chorar]

Posted in Vídeos by

Sempre gostei de livros que me causem sentimentos, seja emoção, alegria, tensão, não importa. Eu gosto mesmo é de SENTIR! Alguns livros nos causam tanta emoção, que é inevitável segurar as lágrimas. Selecionei 5 livros que me fizeram chorar, que realmente mexeram comigo. Confiram no vídeo quais são eles. E se gostar, não esqueça de dar um like para ajudar na divulgação e se ainda não é inscrito no Canal, inscreva-se para ficar por dentro de todas as novidades.

capa top 5 livros para chorar

Resenhas dos livros citados:

O Diário de uma Paixão
O Jardim de Inverno
Cante para eu dormir
Dançando sobre cacos de vidro
Como eu era antes de você

Quero saber de vocês, quais livros mais emocionaram e lhe fizeram chorar? Tem alguma sugestão para novos TOP 5? Deixe nos comentários que vou adorar gravar. :)

Skoobpic010demoji_16850470decoojpFacebookpic010demoji_16850470decoojpTwitterpic010demoji_16850470decoojpInstagrampic010demoji_16850470decoojpYou tubepic010demoji_16850470decoojpFilmowpic010demoji_16850470decoojpPinterest

25/11/2015
/

[Resenha] O sol é para todos

Posted in Livros by

40 - O sol é para todos [AGOSTO]A nova edição de um dos maiores clássicos da literatura norte-americana moderna. Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. O sol é para todos, com seu texto forte, melodramático, sutil, cômico (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações. Com nova tradução e projeto gráfico, este clássico moderno volta à cena, justamente quando a autora lança uma continuação dele, causando euforia no mercado. Desde o anúncio de sua sequência, O sol é para todos é um dos livros mais buscados e acessados no site do Grupo Editorial Record. Já vendeu mais de 30 milhões de cópias nos Estados Unidos e, no último ano, ganhou a recomendação do presidente Barack Obama, que proferiu o seguinte elogio: “Este é o melhor livro contra todas as formas de racismo.”

Li “O sol é para todos” pela primeira vez a uns dez anos atrás. Na época, eu nem sabia que se tratava de um clássico, nunca tinha ouvido falar no livro. Estava na biblioteca da minha cidade, li a sinopse e gostei, então levei pra casa. Me lembro de ter gostado muito da história, mas com certeza, a primeira vez que li, não foi tão marcante como foi agora, na releitura.

Scout,  sete anos, é uma menina travessa, curiosa e sensível. Ela vive com seu irmão Jem, 13 anos e seu pai, o advogado Atticus Finch na pequena cidade de Maycomb, no estado do Alabama, Estados Unidos. Scout é uma menina diferente, ela não gosta de ser tratada como menina, indefesa e delicada. Sempre gostou de aventura e de ser tratada com igualdade nas inúmeras brincadeiras que ela, o irmão e o melhor amigo deles Dill sempre estão estão inventando. Dill mora em outra cidade, mas passa todas as férias de verão em Maycomb.

A maior diversão das crianças, é tramar uma maneira de fazer Boo Radley sair de casa. Um vizinho recluso, misterioso, que nunca foi visto por nenhuma das crianças. Ao mesmo tempo que eles morrem de medo de Boo, eles alimentam a curiosidade de vê-lo, e finalmente poder constatar se ele realmente é o monstro abominável, devorador de criancinhas que eles imaginam ser.

A pequena cidade, onde absolutamente todos se conhecem, está em polvorosa. Um homem negro, Tom Robinson, é acusado de estuprar uma jovem branca. E Atticus é o advogado responsável pela defesa de Tom. Praticamente a cidade inteira fica contra a atitude de Atticus e passam a hostilizar seus filhos na vizinhança, na escola, aonde quer que vão. As crianças então começam a questionar o pai sobre o que está acontecendo, por que estão sendo tratados dessa maneira.

Atticus então explica tudo aos filhos, com seu jeito amoroso e calmo,  todas as injustiças, o racismo,  a falta de amor ao próximo simplesmente pela diferença da cor da pele, a maldade no coração do ser humano, explica exatamente porque estão sendo hostilizados pela população, que acredita ser uma afronta um advogado branco defender um negro.

A narrativa é contada pela Scout, que tem uma inteligência e uma percepção fora do comum para uma menina da sua idade. Ela enxerga tudo com os olhos inocentes de uma criança, mas com um entendimento que até mesmo em certos adultos é ausente. Sou bem implicante com livros narrados por crianças, mas este é tão perfeito, tão compatível com a personagem, que em momento algum me incomodou. A simplicidade e a objetividade da menina que sabe exatamente o que quer e o que não quer, mas que no fundo ainda tem aquele ar de inocência.

Demorei uma semana para terminar o livro,  pois não queria que chegasse ao fim. O mundo criado pela autora Harper Lee é mágico, ela literalmente me transportou para aquela pequena cidade do interior, quente, poeirenta e pacata. Os personagens são incríveis, sem exceção. Os valores transmitidos pela autora através de sua história é muito atual, apesar de a trama se passar no início da década de 30. Este é um livro que eu indico a todos os tipos de leitores, desde adolescentes até idosos, pois a lição de vida e amor que exalam deste livro não tem prazo de validade. Vai ser sempre atual!

Por mais que eu tenha tentado demonstrar todo o meu amor por este livro, sinto que nada que eu disser ou escrever vai fazer jus ao tanto que realmente é extraordinária esta obra prima da literatura. Um livro para levar pra vida, para reler depois de um tempo e sinto que a cada vez que isso acontecer, o amor só irá aumentar. Enfim, eu amei, amei e super indico, POR FAVOR, LEIAM ESTE LIVRO!!!

O sol é para todos – Harper Lee

Editora José Olympio (Grupo Editorial Record)

350 páginas

Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino

favorito star

 

tag curiosidades 55 anos após lançar o clássico O Sol é Para Todos, a escritora Harper Lee, de 88 anos,  anuncia a chegada de um novo livro. Embora tenha sido escrito antes de O Sol é para todos, este será a continuação do primeiro. Aqui no Brasil, será lançado pelo Grupo Editorial Record e vai se chamar Vá, coloque um vigia. Scout Finch reaparece adulta, vinte anos depois para visitar seu pai. Alguns outros personagens também irão retornar neste livro.

tag sobre a autora

harper leeHarper Lee é uma escritora estadunidense, filha de uma dona de casa e de um advogado. Seu único livro, O Sol é Para todos (em inglês: To Kill A Mockingbird) publicado em 1960, foi um sucesso instantâneo, se tornando um dos maiores clássicos da literatura norte-americana moderna. A obra ganhou o prêmio Pulitzer e deu origem a um filme homônimo, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado em 1962. O romance é baseado livremente nas memórias familiares da autora, assim como em um evento ocorrido próximo a sua cidade natal em 1936, quando ela tinha 10 anos de idade. A obra foi eleita pelo Librarian Journal como o melhor romance do século XX e está na lista de 100 melhores livros feita pela BBC.

JuOliveira_seloAprovado300

 

14/08/2015
/

[Resenha] Uma curva no tempo

Posted in Livros by

33 - Uma curva no tempo [JULHO]A noite do acidente mudou tudo… Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim… Ou funciona? A noite do acidente foi uma grande sorte… Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?

Já faz algum tempo desde que eu sofri para escrever uma resenha. Isso acontece sempre que eu gosto muito de um livro. Isto aconteceu com a leitura de “Uma curva no tempo“. Não estava encontrando palavras para expressar o que senti lendo esse livro. Prometo que vou tentar fazer o meu melhor.

Rachel e seus amigos estão em um jantar de despedida. Cada um deles irá tomar um novo rumo em suas vidas, cursar a faculdade em cidades diferentes. Cada um com seus sonhos e planos para o futuro. Mas esses planos são interrompidos para Jimmy, amigo de infância de Rachel. Ao avistar um carro desgovernado vindo em direção à janela em que o grupo está comemorando, Jimmy não pensa duas vezes e protege como pode sua melhor amiga, sacrificando assim sua própria vida.

Após o acidente, a vida de Rachel muda completamente. Com uma grande cicatriz no rosto, uma dor insuportável pela perda de seu amigo querido e o afastamento de seus amigos, ela leva uma vida de profunda tristeza e solidão. Seu pai está definhando devido a um câncer, sua carreira nunca foi o que ela sonhou, enfim, sua vida é só tristeza e solidão.

Até que cinco anos após o acidente, ela se vê obrigada a voltar a pequena cidade onde tudo aconteceu, para o casamento de sua melhor amiga. O encontro com o antigo grupo de amigos e seu namorado da época do acidente será inevitável. Tudo o que Rachel quer é passar logo por isso e voltar para o seu canto.

Após sofrer um desmaio, quando foi ao cemitério visitar o túmulo de Jimmy, Rachel acorda no hospital e ai sim… sua vida literalmente virou de cabeça para baixo. Seu pai está ótimo, aparentemente curado do câncer, seu ex-namorado Matt, agora se diz seu noivo e o mais surpreendente… Jimmy está vivo, bem ali na sua frente.

Rachel tenta entender o que está acontecendo. Se é ela que enlouqueceu de vez, ou se todos ao seu redor estão malucos. A vida que ela “aparentemente” tem é muito melhor do que a “antiga”. Então porque ela tenta desesperadamente fazer com que todos entendam que nada está certo, tudo está fora do lugar, que aquilo tudo não pode estar acontecendo.

uma curva no tempo

Quando percebi que a vida da protagonista teria duas versões, e que somente uma delas seria a real, logo me veio a mente dois livros que li com essa mesma premissa. Não vou citar o nome desses livros aqui, porque seria o maior SPOILER que eu poderia dar, e eu não quero isso.

Impossível, durante a leitura de “Uma curva no tempo“, não fazermos nossas próprias reflexões, tentando imaginar qual caminho nossa vida teria tomado se em determinado momento um vírgula fosse acrescentado em nossa vida. Sofri junto com a personagem, querendo entender o que se passava em sua vida. Tantas dúvidas e incertezas, tantos questionamentos.

Não sou muito fã de duologias ou trilogias de livros, mas este é um que com certeza merecia continuação. Fiquei desejando muito saber o que acontece quando acaba. Os personagens são extremamente cativantes e reais. Mal dá para acreditar que este e o primeiro livro da autora Dani Atkins, começou com tudo! Entrou para minha lista de melhores livros do ano, com certeza. Se eu recomendo esta leitura? Óbvio que sim! Leiam e emocionem-se com as incertezas de vida da Rachel. Eu simplesmente amei!

Uma curva no tempo – Dani Atkins
Editora Arqueiro
256 páginas
Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino
5 star 

tag sobre a autorauma curva no tempo dani atkins

Dani Atkins nasceu e foi criada em Cockfosters, Londres. Somente qudno seus dois filhos estavam crescidos e sairam de casa, ela decidiu se dedicar ao sonho de ser escritora. Uma curva no tempo é seu primeiro romance.

21/07/2015
/

[Resenha] Neve na Primavera

Posted in Livros by

34 - Neve na PrimaveraSeattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade. Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve. Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos, Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

Eu amo ler livros de inverno no inverno. E quando li a sinopse de Neve na Primavera, fiquei muito interessada pela trama e quis logo lê-la, já que a um bom tempo eu vinha querendo conhecer a escrita da autora Sarah Jio. Não poderia ter feito melhor escolha, este livro é maravilhoso, mais um que entrou para minha lista de favoritos. Falei um pouquinho sobre ele no vídeo. Se curtir, não esquece de dar um like, assim estará ajudando muito na divulgação do meu canal. Beijos!

RESENHA NEVE NA PRIMAVERA650

Neve na Primavera – Sarah Jio

Novo Conceito

336 páginas

Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino

favorito star

 

15/07/2015
/

[Resenha em vídeo] A lista

Posted in Vídeos by

30 - A listaKitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

capa resenha a lista 650

Mais um livro da Cecelia Ahern que tocou meu coração. Essa autora tem o dom de mexer com o leitor, com sua narrativa emocionante e cheia de significados. Confiram o vídeo que gravei falando um pouquinho sobre minha experiência com o livro “A lista”, lançado recentemente pela Editora Novo Conceito. Se gostou do vídeo, de um like assim me ajudará muito na divulgação e se você ainda não se inscreveu no canal, inscreva-se e receba todos os vídeos em primeira mão.


A lista – Cecelia Ahern

Editora Novo Conceito

384 páginas

Comprar: Amazon|Americanas|Saraiva|Submarino

4 star

28/06/2015
/